A história da América Latina sempre fazia parte de um contexto mais largo. A Europa jogou um papel importante nisso. Culturas pré-colombinas, uma Idade Moderna rotulada de 'vice-reinal', 'novo-hispana' ou 'colonial' e uma História 'nacional' ou '(pós-)independente’ fazem, ademais, repensar categorias estabelecidas de persistência, tradição e modernidade. Uma aproximação diacrônica e sincrônica às muitas vezes complexas relações recíprocas entre os dois lados do Atlântico visa contribuir para a compreensão de um mundo cujas partes estão mais aproximadas uma à outra que os horizontes corriqueiros sugerem.

Martin Waldseemüller, Universalis cosmographia secundum Ptholomaei traditionem et Americi Vespucii aliorū que lustrationes, 1507 (parte)

Áreas de trabalho

Linguagem política latino-americano
Monarquia em Ibero-América
Recepção da antiguidade no discurso político ibero-americano
História da historiografía

Carreira

Professor Associado, Universidade de Talca, 2014 –
Professor Adjunto, Universidade de Talca, 2009 – 2014
Docente, Universidade de Hamburgo, 2007
Profesor Titular substituto, Universidade de Hamburgo, 2006
Doctor philosophiae, Universidade de Hamburgo, 2006
Magister Artium, Universidade Eberhard Karls Tübingen, 1998


Monarquias americanas

O renascimento do poder monárquico por volta de 1800 veio junto, na América Latina, com tendências de autonomia política, mostrando assim que – eis a tese do projeto – imaginários de império e de emperadores constituiram o quadro elementar para a legitimação do poder político desde a expansão europeia até além da época da independência. No caso brasileiro, ideias monárquicas culminaram na saída do conjunto imperial português e na formação de um império independente a partir de 1822. No México tais conceitos eram capaz de promover o processo independista fazendo referência a tradições indigenas. Ao mesmo tempo espaços de domínio político pré-colombinos e coloniais caraterizaram a formação de novos estados desde a região andina até ao Prata. Em recorrer a uma oferta vasta de fontes escritas e iconográficas preguntar-se-á como imaginários americanos de governo monárquico surtiram efeito num horizonte atlântico.

As ‘Anecdotas’ de Nicolás de la Cruz y Bahamonde

Em 1783 Nicolás de la Cruz y Bahamonde, originário de Talca, Chile, começou uma longa viagem que ia levar via Concepción, Buenos Aires y Montevideo a Cádiz onde ia tornar-se um comerciante rico. Sobre a sua viagem Cruz y Bahamonde começou a escrever um relatório no qual assimilou também impressões de outras viagens posteriores pela Europa. Ainda que Cruz y Bahamonde, conhecido também pelo seu título nobiliárquico de ‘Conde del Maule', nunca mais regressaria à sua terra natal, durante toda a su vida se empenhava por ela, sobretudo em termos económicos e culturais.

Até agora não existe nenhuma edição completa e crítica do texto inteiro. A inserção das ‘Anecdotas’ no seu contexto linguístico e histórico permete entender a su importância: como testemunho de um ator que no conjunto da iluminação, reformas e revoluções, comércio livre, independência e a formação de novos estados discute a relação entre os dois lados do Atlântico; como expressão da capacidade de relacionar o local e o global; e, também, como um ego-documento singular em que o proprio papel do autor se vê refletido e desenvolvido de modo contínuo. 

Manuscrito original digitalizado da biblioteca da Universidade de Lehigh

Edições

[coeditor Eduardo Bravo] La independencia de Chile y su celebración: una polémica (aún) abierta?, Talca: Editorial Universidad de Talca, 2016.

Independências latino-americanas: projetos e projeções, Dossiê, Revista de Estudos Afro-Americanos 5/1 (2015).

Artigos

As guerras de Thomas Cochrane: uma reflexão acerca das dimensões espaciais nas independências do Brasil e do Chile, em: Christian Hausser (ed.), Independências latino-americanas: projetos e projeções, Dossiê, Revista de Estudos Afro-Americanos 5/1 (2015), pp. 44–65.

Apresentação: Dossiê Independências latino-americanas: projetos e projeções, em: Christian Hausser (ed.), Independências latino-americanas: projetos e projeções, Dossiê, Revista de Estudos Afro-Americanos 5/1 (2015), pp. I–III.

Amerikanische Kaiser. Lateinamerika im Jahrhundert der Monarchie, em: Christian Cwik, Michael Zeuske (eds.), Der Wiener Kongress und seine globale Dimension, Dossiê, Zeitschrift für Weltgeschichte 16/2 (2015), pp. 113–136.

Un historiador extraviado en Chile. Acerca de la relación entre historia y diplomacia durante la misión de Francisco Adolfo Varnhagen al Pacífico (1863–1867), em: Meridional. Revista Chilena de Estudios Latinoamericanos 3 (2014), pp. 85–108.

[coautoria Horst Pietschmann] Empire. The concept and its problems in the historiography on the Iberian empires in the Early Modern Age, em: Ana Crespo Solana (ed.), Empires: Concepts and New Research on the Hispanic world, 16th–18th centuries, Dossiê, Culture & History Digital Journal 3/1 (2014), e002.

_____ [versão ampliada, tradução espanhola, coautoria Horst Pietschmann] Los imperios ibéricos de la época moderna. Tendencias historiográficas recientes, em: Travesía. Revista de historia económica y social 17/1 (2015), pp. 31–53.

A caminho de uma historia nacional. A pré-historia da 'Historia Geral do Brasil' na primeira metade do século XIX, em: Expedições: Teoria da História e Historiografia 4/2 (2013), pp. 64–82.

Geschichte aus der Ferne? Carl Friedrich Philipp von Martius und die Anfänge der brasilianischen Nationalhistoriografie, em: Jahrbuch für Europäische Überseegeschichte 9 (2009), pp. 37–66.

Civilização e nação: o índio na historiografia brasileira oitocentista, em: Jahrbuch für Geschichte Lateinamerikas 44 (2007), pp. 235–257.

A imigração como processo civilizatório: pensamento histórico e reforma social durante o período imperial brasileiro, em: Cadernos de Estudos e Pesquisas 11 (2007), pp. 127–137.

Capítulos de livro

Uma historia num momento inoportuno: o 'Compêndio' de Abreu e Lima no contexto do debate historiográfico no Brasil nos meados dos oitocentos, em: Juan Pablo Martín Rodrigues, Monique Santana de Oliveira Sousa, Tatiane Maria Barbosa de Oliveira (orgs.), General Abreu e Lima: um pensador dos trópicos, Recife: Editora UFPE, 2018, pp. 93–110.

Do relatório aventureiro à historia global: a historiografia sobre o Brasil no mundo de fala alemã, em: Francisco José Calazans Falcon (org.), Estudos de história e historiografia, Rio de Janeiro: Editora Revan, 2018, pp. 71-92.

Civilizando a nação. Ideias luso-brasileiras de desenvolvimento social (1808–1871), em: Antonio Abreu Xavier (dir.), La Península Ibérica, el Caribe y América Latina. Diálogos a través del Comercio, la Ciencia y la Técnica (siglos XIX–XX) (=Biblioteca Estudos & Colóquios, Série E–Books, Nº 8), Évora: Publicações do CIDEHUS, 2017.

Del patio al mundo: el tratado ABC como punto de inflexión de la diplomacia brasileña, em: María Ignacia Matus Matus, Gilberto Aranda Bustamante (eds.), A 100 años del ABC: desafíos y proyecciones en el marco de la integración regional, Santiago de Chile: Instituto de Estudios Internacionales de la Universidad de Chile, Centro de Estudios e Investigaciones Militares, 2016, pp. 53–63.

La cultura independentista al inicio del siglo XIX: breves observaciones respecto a un tema actual, em: Christian Hausser, Eduardo Bravo (eds.), La independencia de Chile y su celebración: una polémica (aún) abierta?, Talca: Editorial Universidad de Talca, 2016, pp. 21–36.

[coautoria Eduardo Bravo] Acerca de este libro, em: Christian Hausser, Eduardo Bravo (eds.), La independencia de Chile y su celebración: una polémica (aún) abierta?, Talca: Editorial Universidad de Talca, 2016, pp. 17–19.

Portugal und seine überseeischen Besitzungen – Raum ohne Herrschaft, em: Michael Gehler, Robert Rollinger (eds.), colaboración Sabine Fick y Simone Pittl, Imperien und Reiche in der Weltgeschichte. Epochenübergreifende und globalhistorische Vergleiche, Wiesbaden: Harrassowitz Verlag, pp. 935–970.

La nación como amalgama. Inclusión y exclusión social en el Brasil imperial, em: Milena Koprivitza Acuña [et al.] (eds.), Del Mundo Hispánico a la consolidación de las Naciones 1808–1940, Tlaxcala, México D.F.: Gobierno del Estado de Tlaxcala, 2010, pp. 155–173.

Kaiser Pedro II., em: Nikolaus Werz (ed.), Populisten, Revolutionäre, Staatsmänner. Politiker in Lateinamerika (=Bibliotheca Ibero-Americana, Band 129), Frankfurt am Main: Vervuert, 2010, pp. 142–171.

Imperios y emperadores. Conceptos imperiales y sus representaciones en el mundo iberoamericano colonial como problema de investigación, em: Milena Koprivitza Acuña [et al.] (eds.), La Guerra de conciencias: monarquía o independencia en los mundos hispánico y lusitano, Tlaxcala, México D.F.: Gobierno del Estado de Tlaxcala, 2010, pp. 93–108.

Transnationale Perspektiven der brasilianischen Geschichte, em: Rafael Sevilla, Sérgio Costa, Martin Coy (eds.), Brasilien in der postnationalen Konstellation (=Brasilianisten-Gruppe in der ADLAF: Beiträge zur Brasilien-Forschung, Band 1), Tübingen: Centro de Comunicación Científica con Ibero-América, 2003, pp. 206–212.

A Guerra de Canudos na memória nacional: os manuais de história, em: Angela Mendes de Almeida, Berthold Zilly, Eli Napoleão de Lima (eds.), De sertões, desertos e espaços incivilizados, Rio de Janeiro: FAPERJ, Mauad, 2001, pp. 157–172.

Universidad de Talca       Instituto de Estudios Humanísticos 'Juan Ignacio Molina’       1 Poniente 1141       3462227 Talca        Chile        +56 71 2200459